Belas homenagens à história do cinema podem render um Oscar

Compartilhe

Tanto ‘O Artista’ quanto ‘Hugo Cabret’ são cotados como os favoritos na disputa pela categoria principal da noite do Oscar, Melhor Filme. Além de cumprirem todos os requisitos técnicos e criativos, o fato de ambos renderem homenagem ao cinema os transforma em fortes candidatos a estatueta dourada.

Em preto e branco e mudo, mas com uma trilha sonora empolgante e atuações competentes, ‘O Artista’ narra a trajetória de um artista do cinema mudo que perde espaço na era do filme falado.

Imagem/Paris Filmes

O fato de ser uma produção francesa leva muitos a questionarem sobre a remota possibilidade da indústria norte-americana conceder tal honraria a um filme não estadunidense.

Belíssimo, ‘Hugo’ também homenageia a sétima arte, mas de uma outra forma. Com cores vibrantes, o longa trata da história tocante de um menino órfão e a descoberta do maravilhoso mundo de George Mélièrs, um dos precursores do cinema.

Imagem/Paramount Pictures

Além de visualmente deslumbrante, é impossível não se emocionar com a história de Hugo e as belas imagens do cinema de Mélièrs. O longa conta com um roteiro ‘sem pontas soltas’ e Scorsese conduz a trama e o uso da tecnologia 3D com perfeita maestria.

Também concorrem na categoria melhor filme ‘ A Árvore da Vida’ de Terrence Malick; ‘Cavalo de Guerra’, de Steven Spielberg; ‘Histórias Cruzadas’, de Tate Taylor; ‘Meia Noite em Paris’, de Woody Allen; ‘O Homem que Mudou o Jogo’ (Moneyball), de Bennett Miller; ‘Os Descendentes’, de Alexander Payner, e ‘Tão Forte e Tão Perto’, de Stephen Daldry.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *