‘Artista do Desastre’: cinema e senso de humor na veia

Compartilhe

Dirigido e estrelado por James Franco, ‘Artista do Desastre’ é um filme marcado pela metalinguagem, o cinema que fala de si, aditivada com altas doses de humor. Com texto cômico de tom crítico nas entrelinhas e elenco afiado, o ator consegue êxito tanto por trás quanto diante das câmeras.

the-disaster-artist-o-artista-do-desastre
Imagem/Warner Bros Pictures

Ambientado entre os anos de 1998 e 2003, a comédia narra o encontro entre Tommy (james Franco) e Greg (Dave Franco) e a posterior filmagem de ‘The Room’, longa que seria a pior e também a melhor experiência cinematográfica vivida por ambos.

Baseado no livro (não ficcional) de Greg Sestero e Tom Bissell, o roteiro relata a controversa trajetória do cineasta Tommy Wiseau rumo ao estrelato, uma história marcada por diversos percalços enfrentados por ele e ‘baby face’, apelido dado ao amigo inseparável.

Composição, atuação e texto

Além do cinema ser tema, a trama também apresenta uma sintonia com o fato de James Franco, assim como o personagem, atuar e também dirigir a própria obra. Aliás, esta miscelânea entre a realidade e a ficção é um ponto interessante em tudo que envolve esta produção.

Na pele de Tommy, o artista é caracterizado de modo eficiente, junta-se a isso, a postura corporal, a dicção e o sotaque típico do leste europeu e por fim, nasce o curioso protagonista, aliás, bastante semelhante ao da realidade.

Imagem/Warner Bros. Pictures

Livre de pudores, o protagonista de ‘127 Dias’ (2010) e ‘Eu sou Michael’ (2015) encara cenas de nudez e traz consigo o humor, lado já conhecido por produções como ‘É o Fim’ (2013). Mas neste novo título, o surreal dá vez ao nonsense de tonalidade crítica, ambiente no qual ele se supera.

Destaque para o breve encontro entre o exótico diretor e a mãe de Greg, vivida por Megan Mullally (karen de Will and Grace), um embate de poucas palavras e muito sarcasmo. Aliás, Dave Franco convence como o ingênuo ator aspirante e Seth Rogers marca a presença já esperada no filme.

Vale ressaltar a importância das participações especiais, surpresas bem-vindas que apenas confirmam o acerto na escalação e condução do elenco. Da mesma forma, a crítica irreverente exibida nas diversas cenas, inclusive, na postura de profissionais da indústria ou mesmo nas discussões fervorosas dentro do set de filmagem, tudo condizente com a proposta.

Mistérios e gargalhadas

Afinal, quantos anos tem Tommy Wiseau? De onde vem a fortuna dele? Estes e outros mistérios pairam sobre o cineasta e por mais tinta forte que este tipo de humor exija, o personagem exibe vasta gama de sentimentos, sempre em contraponto a um rosto peculiar, de pouca expressão.

‘Artista do Desastre’ é uma comédia amparada pelo nonsense, portanto, algumas soluções seguem uma linha leve, rápida e, por vezes, até pouco verossímeis. Todavia, é curioso constatar que muito daquilo exibido é real, aliás, conferir o pós-créditos vai te trazer essa nítida sensação. Recomendo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *