Virando a Página: despretensioso e simpático

Compartilhe

Estrelado por Hugh Grant e Marisa Tomei, Virando a Página é uma comédia romântica despretensiosa de rumos até previsíveis, porém, o uso do universo da criação de roteiros como pano de fundo deixa a trama mais interessante. Com cenas de encontro e figuras bastante típicas do gênero, o filme ainda consegue ser simpático.
Imagem/Diamonds Films

Na trama, um famoso roteirista de Hollywood se vê diante de uma grande dificuldade na carreira e tem como única oportunidade, o emprego de professor universitário em Binghamton – Nova York. Durante este período, ele vai repensar a carreira, a relação com o filho e ainda terá tempo para descobrir um novo amor.

Enquanto o ator segue com o típico estilo de atuação em mais do mesmo, porém dentro do perfil exigido, o seu par romântico tem um trabalho árduo com uma personagem de otimismo quase infantil, mas ainda assim a atriz consegue fugir deste lugar e se torna até charmosa.

Mãe, estudante e com dois empregos, um na livraria e outro no restaurante, tais ocupações facilitam os encontros ‘acidentais’. Assim como o professor critica no texto de um dos alunos, isto também poderia ser considerado um aspecto muito conveniente. Para além das salas de aula, esse é o caminho escolhido para a aproximação destas pessoas tão diferentes.

Imagem/Diamonds Films

Veteranos como J.K. Simmons e Allison Janney, acrescentam valor a trama mesmo com tipos um tanto recorrentes, ele vive o diretor gentil e emotivo, em contraponto, ela interpreta a professora elitista e amarga. Aliás, o fato desta mulher ser fã de Jane Austen é um aspecto irreverente mas que também esconde uma outra faceta.

“O egoísmo deve ser perdoado porque não há cura para ele”, citações como estas reiteram o grande desafio enfrentado pelo protagonista, não se trata de uma trama de vilões monumentais ou de grandes perdas mas da transformação deste homem. Aliás, isto é óbvio e passo fundamental para qualquer roteiro, de qualquer forma, as motivações são pertinentes e condizem com a proposta.

Chris Elliot, Hugh Graht e J.K. Simmons em cena – Imagem/Diamond Films

Sem esquecer de mencionar o trabalho de Chris Elliot, bastante conhecido pelas figuras cômicas já interpretadas em filmes e séries. No mais, são jovens atores nos papeis típicos da comédia ‘teen’; o geek, a intelectualóide, a sem-noção, a apaixonada pelo professor, e por aí em diante. Mas sejamos justos, cumprem a missão e entretêm.

Virando a Página é mais uma comédia romântica protagonizada por Hugh Grant, com um ótimo pano de fundo, personagens afáveis bem ao estilo do gênero mas ainda assim coerentes. Um roteiro sem grandes pontas soltas com um casal maduro e agradável. Vale a pena conferir como passatempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *